terça-feira, 4 de janeiro de 2011

CERTIFICADOS DE IDIOMAS ESTRANGEIROS

Belo Horizonte, 4 de janeiro de 2011 – by Marcos de Souza Castro

Um ligeiro papo sobre o TOEFL para início de conversa:

Para fazer um curso de graduação, pós-graduação ou especialização em países de língua inglesa, não bastam aquelas bem-intencionadas aulas do idioma que o interessado teve no ginásio. O ingresso nas universidades mais requisitadas do mundo depende do desemmpenho nos testes reconhecidos internacionalmente. O mais famoso é o TOEFL sigla de Test of English as a Foreign Language, exigido por cerca de 2400 instituições de ensino superior nos Estados Unidos e no Canadá. Anualmente, mais de 300.000 pessoas se inscrevem em todo o planeta. No Brasil, onde o exame é realizado em doze cidades (Belo Horizonte inclusive – aqui no ICBEU, na rua da bahia) , somente na Associação Alumni, em Sáo Paulo, são 2700 inscrições anuais. Outros autorizados a aplicar o exame são o Instituto Brasil-Estados Unidos do Rio de Janeiro e Fortaleza, o Instituto Cultural Brasil (caso de Belo Horizonte – ICBEU) , alem da Casa Thomas Jefferson, de Brasília. Não há reprovação - O candidato recebe uma pontuação e cada faculdade exige um limite mínimo de pontos para aceitação ( “Preparo meus alunos para a pontuação considerada excelente”) .

O contrário ocorre com o exame da Universidade de Cambridge (Inglaterra), que fornece, dentre outros, o Certificate of Proficiency in English (CPE),com peso BEM superior ao do TOEFL, para admissão na Inglaterra, junto com o IELTS, esse sim, equivalente ao TOEFL. O candidato precisa obter conceito A,B ou C (com D ou E é reprovado). Quem está pensando em cursar um MBA, além do TOEFL, precisa enfrentar o GMAT, sigla de Graduate Management Admission Test. Se o interessado não pretende sair do país, mas necessita atestar seus conhecimentos de inglês por razões profissionais, uma alternativa é o rigoroso Examination for the Certificate of Proficiency in English da Universidade de Michigan. Com ele,aliás, as universidades dispensam o TOEFL, pelo fato dele ser mais abrangente com prova oral, redação obrigatória e com maior esmero no seu preparo. Para “faturar” qualquer um deles, ou todos eles (quanto mais, melhor!), o caminho pode ser preparar-se muito antecipadamente,como quem faz um vestibular (O ideal é começar a se preparar no pré-primário! Preparei meus filhos com 12-13 anos!) – há até cursos e professores especializados em várias capitais. (obs. Isso pouco adianta porque o que o sujeito precisa mesmo é ler,ler e ler – checando a pronúncia, noutra fase. Ler ajuda a interpretar textos com alta velocidade e ajuda a redigir coerentemente).

TOEFL - Mede a capacidade de leitura,compreensão auditiva, redação (opcional) e domínio de gramática aplicada. É o mais aceito em universidades nos países de língua inglesa.Tem validade de dois anos. Disponível o ano Todo. Custa cerca de 200 dólares.
MICHIGAN CPE - Inclui prova oral e é destinado a pessoas que por razões profissionais ou acadêmicas, precisam de um certificado internacional de proficiência em língua inglesa. Realizado em novembro, custa uns 80 dólares (o “preliminary”) e uns 90 dólares o CPE.
CAMBRIDGE CPE - Para as instituições inglesas, tem valor superior ao TOEFL ou ao IELTS.Administrado pela cultura inglesa, em junho e dezembro. Cerca de 180 dólares.
GMAT - Necessário para quem quer fazer MBA nos EUA, inclui lógica e matemática. Disponível o ano todo. Custa uns 380 dólares.

Um comentário:

  1. Marcos, existe um teste de proficiência linguística oral e escrita, totalmente informatizado, cujos resultados são cientificamente comprovados. http://www.focusfit.info/versant/

    Um abraço,


    Jerome Vonk

    ResponderExcluir